sábado, 15 de agosto de 2009

 

Parabéns Mano Mário


»»Clicar para Tocar««
video
** George Harrison – My Sweet Lord **


Vou desviar o percurso que tenho dado a este “Reviver Estórias” para Dedicar o tema ao meu mano Mário, que Hoje Comemora Mais Um Aniversário.

Inicio salientando que tendo Mário como simbolo clubista a Águia tenha como signo o Leão, o meu simbolo clubista. Assim como eu sendo Leão tenha apenas oficialmente representado, em termos desportivos, o clube da Águia, o seu clube. “Estranhas” coincidências de caminhos caminhados de forma paralela, por vezes cruzados, mas que no fim bifurcavam para a mesma recta, para a mesma estrada.
****************************************************
****************************************************
Posso dizer-te Mano que temos estado nos últimos anos a "redescobrir-nos", a verificarmos que tivemos mais convivências e vivências conjuntas do que poderíamos ter pensado.
E essas “velhas/novas descobertas” têm acontecido por força do que em parte desconhecíamos um do outro, ou seja, do prazer de escrever, do prazer de recordar, do prazer de partilhar essas nossas vidas de outrora, essas nossas vivências vividas.



Por alguma razão diziam, e ainda dizem, ou seja, perguntam se não somos gémeos. Não por pensarem que somos gémeos de existência nascida em tempo igual, mas pela forma adulta que sempre demonstramos no pensamento, na conversação, na análise e na justeza. Quase sempre irmandados nos mesmos princípios, nas mesmas bases morais, intelectuais, no carácter. E, tanto quanto me lembre, raramente nos enganamos nas nossas deduções, nas nossas apreciações. Ainda hoje frequentemente isso acontece.



É difícil “falar” de ti sem “falar” de mim, melhor, de ambos, talvez porque quando nasceste eu já cá estava, embora com tempo de "intervalo" curto, e essa terá sido uma das razões de os nossos caminhos terem sido bastante paralelos. Juntos, tu com 9 e eu com 11 anos, saímos de Portugal e cruzamos o Atlântico em Fev./62 a caminho de Angola.
O navio que nos transportou, assim como aos manos Alfa e São, foi o Quanza.



Em anos diferentes andamos no mesmo curso da mesma escola secundária, a Escola Industrial de Luanda.



Juntos na JOC, nos casamentos a sério e nos “à pato”, no célebre Recital de Piano do Teatro Avenida, no Clube/Bar Gay do Treme Treme, na Casa do Alentejo, das Beiras, Transmontano, Textang, Terra Nova, Sarmento Rodrigues, dos boys de S.Paulo e as garinas da Boavista, e tantas outras vivências juntas vividas no Outro Lado do Tempo, quando jovens e solteiros.
Cazumbi, Chá das 6, Parada da Alegria, enquanto espectáculos de entretenimento e autênticos cinéfilos dos SMAE, Restauração, Colonial, S. Domingos e de quase todos os outros cinemas de Luanda.

** Maio/75. Igreja Praia Bispo. Casamento Ana/Luis **


Na vida militar, em anos e percursos diferentes, Nova Lisboa foi o nosso ponto de partida para essa nova missão.

** E.A.M.A./Jan73 - Mário ; R.I. 21/Jan/71 - Eu **


Na agitada e conturbada pré emancipação de Angola vivemos os mesmos perigos, as mesmas dificuldades, as mesmas carências já existentes.
Estiveste no meu casamento e foste o último dos “McGregor” [nome de clã a nós (irmãos) atribuido pelo Telmo do Bar Cravo] a sair de Luanda, tendo-te eu levado ao aeroporto. Até esse teu momento estivemos juntos.



Foi a ti a quem escrevi para me enviares uma foto com a bandeira de Portugal quando saudades dela senti na Angola/Luanda independente. E enviaste. E no dia em que recebi a foto emocionei-me.
A Bandeira é o simbolo máximo de um Povo, de uma Nação. E eu já não a tinha, pois a nova, a que eu queria respeitar, não me respeitava.

** clicar para ampliar **


Ambos dotados intelectualmente de personalidades fortes, o que em algumas vezes na adolescência fez-nos entrar em "choque", soubemos nessas nossas diferenças ultrapassar esses momentos e respeitarmo-nos como individuos e principalmente como Irmãos.

Hoje Mais Um Aniversário do Calendário da Vida passa por Ti.
Geograficamente distantes, mas sempre Presentes, levanto deste lado a minha taça e Felicito-te por estares a cumprir mais uma Etapa, mais um Caminhar Sereno, Seguro, Tranquilo.

PARABÉNS, MANO MÁRIO


nota de rodapé:- embora em situações, latitudes e anos diferentes, também, tal como no meu, o teu casamento foi em conjunto com outro casal (no teu caso com o da n/mana Faty), assim como os nossos fatos tinham o mesmo tom de côr, derivando apenas em poderem ser mais claros ou menos escuros. Para que esta particularidade também fique registada.



Comments:
Olá mano

Desde já o meu muito Obrigado pelo facto de teres dedicado um tema teu a este teu irmão.

Curiosamente eu sou três em um. Sou dragão, sou leão e sou águia.
:)

Dragão pelo horóscopo chinês, leão pelo nosso e águia que como não podia deixar de ser é o mesmo de seis milhões de portugueses (pelos vistos o povo português continua estável nos nascimentos senão seríamos oito ou nove milhões simpatizantes do clube da águia aquele que ser dele é um estado de alma). Ainda vais a tempo de mudar!... E aquela camisola do Benfica de Luanda ficava-te muito bem!

:)

Hoje também é o dia que mais me aproximo de ti em termos de idade, só um ano nos separa. Até Dezembro lá terás que aguentar a pedalada para não seres "ultrapassado", depois volta tudo ao normal.

:)


Relativamente aos "gémeos" que não somos.

Foi a Dª Natália a primeira que vi referir o facto de "parecermos" gémeos. Foi na praia da Floresta que ouvi dela essa expressão.

Depois quem te ler repara que houve pela vida fora uma série de acontecimentos que foram em nós caminhos paralelos. Um mais vou juntar, foi o facto de ambos termos começado em oficinas e acabarmos por enveredar por outros caminhos que nada tinha a haver com essas profissões iniciais.

Outro foi o mesmo gosto pelo desenho, ainda me lembro dos teus desenhos (por fotos mostradas) pintado na parede do teu quartel em Zau-Évua. Outro foi o da poesia, não sabia que tinhas essa faceta, só o descobrindo quando começaste a escrever neste teu "Reviver Estórias".

Sem nunca termos debruçado no assunto na época, verificámos hoje que esses tais caminhos foram comuns e até o facto de terem sido casamentos "duplos", em países diferentes, com um ano de intervalo e até o facto de terem sido os fatos muito iguais.

Relembraste um facto neste teu tema que há muito estava esquecido, foi o de ter enviado a foto da nossa Bandeira que estava na Fortaleza da nossa terra. Ao vê-la ampliada não está uma grande foto nem a bandeira bem visível mas deu para que ficasses emocionado e não é por acaso que o partido mandatário pelas forças das armas em Angola te prendeu e te expulsou pelo facto de quereres e defenderes o nome de Portugal. O que outros ultrajaram tu defendeste; a nossa Bandeira, o ser Português, aqui, agora e sempre!

Desde as farras, ao gosto pela escrita, os mesmos caminhos percorridos, as mesmas vivências que, na altura, não passavam de vivências como outras quaisqueres, própria de irmãos que somos, até no sentido do piano que não éramos nós as pessoas mais indicadas para servirmos de charneira a pseudo entendidos no assunto pois quando eles se levantavam e sentavam à pausa do pianista, nós sentados levantámos e ala para o bar que a noite estava propícia para umas boas Nocais (até na bebida, foi sempre a Nocal e não a Cuca a nossa preferida), até os gays de bigode a olharem para nós que até tremiam, mas devia ser de estarem no prédio do Treme Treme :). na Escola Industrial, na João Crisóstomo e até em Nova Lisboa na tropa, foram sempre rumos paralelos.

Um outro Cinema que íamos era o dos Maristas, onde, algumas vezes, fomos lá jogar à bola.

Falta a narração dos catorze dias que passámos no Quanza rumo a Luanda, e das estórias lá tivémos, que, como ficou combinado, seria eu a dar o "pontapé de saída" desde a nossa Póvoa do Mar até a chegada a Luanda no dia 6 de Março de 1962 dia de Carnaval.

Devido à nossa personalidade forte como bem o dizes houve aqueles "choques" mas nada que uma boa converseta não resolvesse e assim ainda hoje mantemos o mesmo espírito e forma de ser, sinal que entre um leão e uma águia há sempre um forma de ser diferenciada mas que que afinal não deixam de ser aquilo que são!... Irmãos!

Um abraço mano e mais uma vez OBRIGADO!
 
Olá, que bom ver-vos em fotos, ver os vossos rostos e tentar sacar lembranças, mas, só uma ou outra.
Adorei ler a prosa do leão, a do Romano, e, são isso memso, dois manos que parecem gémeos, nas acções, nas palavras, na forma de ser e sentir. Isso já eu tinha (apanhado!) gabo-vos o gosto e a felicidade de poderedes partilhar as emoções da vida em conjunto!
Gostei de ver os noivos e namoradas, etc, que lindas e que lindas...
Beijinhos aos manos do clã MacGregor!...
da garota lá do bairro de S. Paulo.
 
Que bom que é ver o relacionamento assim entre dois irmãos. Realmente voçês pareçem ter os mesmos gostos e darem-se muuito bem.Contigo leaoverde, o contacto é mais recente, com o teu irmão já vem do fio da música na Sanzala. Foi ele o meu mestre, o meu amigo nas fases em que pelo motivo que sabeis, me ajudou muitas vezes a levantar o astral. A ti marius estou-te muito agradecida.
Aqui a leoa tem andado a ler devagarinho o teu blog, leaoverde vai devagar, pois isto vai de mal a pior, nunca mais vejo melhoras mas, lentamente vai.
Já agora também foste dos Comandos ? conversava com o teu irmão sobre isso( até parece que naquele tempo eu já me interessava pela tropa).
Amigo um beijão desta leoa (não é só a LiLi) e outro para o teu ano gémeo,ah, ah...
 
Enviar um comentário



<< Home